Assinatura digital: a nova aliada do mercado imobiliário

Assinatura digital: a nova aliada do mercado imobiliário

Digitalizar e enviar documentos é uma prática comum entre loteadores e corretores de imóveis. Mas por conta da grande demanda de envio e recebimento de propostas e contratos, a necessidade de agilização dos processos tornou-se indispensável para otimizar as negociações.

Além disso, ainda, existe o risco da vulnerabilidade das informações e a perda da validade jurídica, uma vez que não tem a certificação comprovada.

Assim como em muitos outros mercados, o setor imobiliário vem aderindo a novas soluções tecnológicas para melhorar e agilizar os processos burocráticos. É o caso do uso da assinatura digital, como uma alternativa para o trâmite de documentos.

Entenda melhor como funciona e porquê adotar a assinatura digital para formalizar suas negociações imobiliárias.

O que é a assinatura digital?

A Assinatura digital é um recurso à disposição de um usuário, site ou entidade para comprovar sua identidade na internet e garantir a segurança de seus negócios online.

Então, resumidamente, ela permite ao emissor (quem assinou) comprovar que ele é mesmo quem diz ser, por meio de uma série de fatores de segurança que checam e garantem a autenticidade do objeto assinado. 

Vantagens ao adotar essa tecnologia

Primeiramente, a assinatura digital reúne uma série de vantagens positivas e a mais importante delas: encurtar o tempo de fechamento de uma negociação, envio e recebimento de documentos sem a presença física de ambas partes do trâmite.

Além disso, existem outros benefícios importante para aderir:

  • Economia tempo e redução de custos;
  • Simplicidade e agilidade dos processos;
  • Maior sustentabilidade com a redução do uso de papel e tinta;
  • Assinatura de contratos com garantia legal e jurídica.

Como funciona na prática?

A assinatura digital utiliza chaves criptográficas simétricas ou assimétricas para fixar no documento um código matemático único.

Este, por sua vez, vincula de forma imodificável o autor ao seu conteúdo. Ou seja, caso houver tentativa de adulteração, a assinatura se rompe.

Na forma simétrica, a mesma chave privada (sigilosa) tem a função de cifrar e decifrar o documento.

Porém, esse modelo mais antigo exige que o destinatário possuir a chave do remetente para visualizar o conteúdo recebido.

Em virtude disso, atualmente adota-se o modelo de chaves assimétricas. Nesse modelo, o envio e a leitura/confirmação de autenticidade do documento passa a ser feito por meio de um par de chaves distintas, uma pública e outra privada.

Enquanto uma chave cifra, a outra decifra, sendo que cada uma dessas ações ocorre por quaisquer dessas chaves, desde que uma apenas codifique e a outra apenas decodifique.

Todo esse processo mais complexo, tem validação do Certificado Digital, um conjunto de arquivos que servem como identidade virtual para uma pessoa.

Emitido pela Autoridade Certificadora (AC), o certificado tem a função de ligar um usuário a esses códigos matemáticos únicos.

Assinatura digital vs. assinatura eletrônica

A assinatura digital, portanto, é um um tipo de assinatura eletrônica.

Porém, enquanto a assinatura digital utiliza criptografia e permite visualizar a origem e a integridade do documento, a assinatura eletrônica gera a partir da grafia de um visto no dispositivo (computador, celular e tablet), e que precisa ser validado.

Podemos dizer que toda assinatura digital é eletrônica, mas nem toda assinatura eletrônica é digital, uma vez que utiliza de outros meios para realizar sua validação.

Aliás, a assinatura eletrônica não necessita de um Certificado Digital, pois sua validade tem garantida comprovada pelo acordo entre as partes.

Assim sendo, ela comprova que ambas as partes estão de acordo para ser validada, reconhecida e juridicamente aceita.

Por isso, geralmente é necessário também que as partes preencham no documento informações como data, local, nome do responsável pela assinatura.

Essas informações, posteriormente, servirão como prova de que a pessoa estava ciente de assinar o documento eletronicamente.

As inovações aplicadas ao mercado imobiliário

Quando falamos em inovação, falamos em tecnologias que podem auxiliar e reduzir a interferência humana em processos.

E é de suma importância acompanhar as inovações e evoluções também para o mercado imobiliário.

Juntamente com essa evolução, a forma como interagir com o cliente e receber as informação também muda.

A assinatura digital, por sua vez, agrega uma série de benefícios e diferenciais importantes na hora de ter maior controle dos processos que envolvem a negociação.

E, como vimos, conseguir agilizar esses processos, muitas vezes é decisivo para ter maior sucesso em vendas.

Navegue um pouco mais nesse assunto e entenda como a assinatura digital também auxilia na hora realizar um financiamento… clique aqui!

Deixe um comentário

My New Stories

imobiliária digital
pós-venda no mercado imobiliario
comprar um terreno