Startups imobiliárias e o que significa cada “tech”

Segundo dados levantados pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups), o modelo de negócio das startups veio para ficar, pois já são mais de 10 mil empresas desse tipo atuando em todo território nacional. E para indicar as especialidades de statups imobiliárias surgiram nomes como: construtech, proptech, realtech.

O mundo das startups tem uma linguagem própria, que tem sido assimilada por outros segmentos, como o financeiro, com as fintechs, o jurídico, com as lawtechs, e o próprio marketing, com as martechs.

Com esse vocabulário já é possível distinguir as diferentes startups imobiliárias, já que cada uma delas se especializa em uma parte da jornada do mercado de imóveis: na incorporação, na venda ou no aluguel, por exemplo.

As empresas aliam o conhecimento que já têm na área ao que há de mais novo na tecnologia, muitas vezes incorporando o “tech” ao nome.

Portanto, é mais uma forma de se diferenciar e agregar valor de negócio através da tecnologia, o que tem mais apelo para investidores, interessados em empresas inovadoras. Vamos aos termos:

Construtech

São aquelas empresa que utilizam tecnologias para facilitar processos e gerar valor para os agentes da cadeia da construção civil.

Proptechs

Ligadas ao conceito de “propriedade”, essas startups têm como objetivo aprimorar os serviços que envolvem propriedades imobiliárias, como aluguel, gestão de condomínio e até reformas.

Realtechs

São startups ligadas à área de Real Estate, que atendem ao mercado imobiliário como um todo, da elaboração do projeto, gestão do condomínio a investimentos em imóveis, como os Fundos Imobiliários (FIIs).

Greentechs

O termo se refere a startups que aliam as últimas tecnologias à sustentabilidade. Atuam não apenas no setor imobiliário, mas também nos de mobilidade, energia e reciclagem.

Infratechs

São startups que trabalham com infraestrutura pesada, em especial na construção civil, com projetos de pontes e túneis, por exemplo.

Oferecem também projetos de mobilidade urbana, como as smart cities: focadas em construções sustentáveis, gestão de recursos hídricos e geração de energia.

Mercado em constante ascensão

Não há dúvidas de que todo esse avanço chegou para a fazer a diferença na maneira de construir, comprar, vender, administrar e negociar terrenos, lotes e empreendimentos.

Levando em consideração a curva crescente de crescimento, atualmente as empresas também podem fazer projetos e gerenciar a construção de um prédio usando meios amigáveis ao meio ambiente, o que pode classificá-las como contechs ou greentechs, por exemplo.

No futuro, mais expressões acrescidas de tech podem surgir, afinal, o mercado imobiliário é dinâmico e tem se reinventado com as novas tecnologias ano após ano.

Já na parte de gerenciamento, essas empresas também vieram para tornar processos cada vez mais automatizados e a tarefa de loteadores, incorporadores e imobiliárias mais eficientes. Saiba mais sobre as proptechs e como elas podem ajudar no seu negócio. Clique aqui!

Deixe um comentário

My New Stories

imobiliária digital
pós-venda no mercado imobiliario
comprar um terreno